Inscrições para o Banco de Cadastro Temporário para Contratação Emergencial iniciam dia 28 de Dezembro



Estão abertas as inscrições para o Banco de Cadastro Temporário para Contratação Emergencial de Professores, Especialista de Educação e Servidores de Escola, tendo seu edital divulgado no dia 22 de dezembro de 2020 no site da Secretaria da Educação.

O cadastro é destinado a professores, servidores e especialistas da área da Educação. As inscrições devem ser feitas via internet, através do site www.educacao.rs.gov.br, durante o período de 28 de dezembro de 2020 até 10 de janeiro de 2021.

Visando evitar aglomerações, além da inscrição, a documentação que deve ser incluída também será feita de forma online, através de um link no e-mail pessoal do candidato.

Ressaltamos a importância da leitura do Edital para esclarecimento de características, exigências e requisitos para inscrição.

Contato: (55) 3331-0350 e (55)3331-0358, ou pelo e-mail “contratotemporario36cre@seduc.rs.gov.br”

Inscrições para o Banco de Cadastro conforme tabela abaixo:

Contratos Temporários - Realizando a Inscrição.



Contratos Temporários - Envio de Documentos.




Seduc lança primeiro aplicativo gaúcho para alfabetização dos estudantes

 

POR DIEGO DA COSTA E ISABELLA SANDER

A Secretaria Estadual da Educação (Seduc) lançou nesta quarta-feira, 16 de dezembro, o projeto piloto do primeiro aplicativo gaúcho para letramento e alfabetização dos estudantes.

Coordenado por alunos e professores da Escola Técnica Parobé e pelo Departamento de Planejamento da Seduc, com participação de docentes e estudantes das escolas Protásio Alves, Irmão Pedro e Dom João Becker, o projeto “Ler é Tri” visa qualificar a oralidade e a escrita, estimular o hábito da leitura e auxiliar os professores na avaliação da fluência e interpretação textual dos alunos do 1º ao 6º ano do Ensino Fundamental.

Por meio da gravação da leitura e o uso de trechos de obras literárias indicadas pelo professor, o aluno pratica a interpretação textual, a oralidade e enriquece a cognição na área da linguagem. O aplicativo pode ser utilizado sem a necessidade de estar conectado à internet, a não ser na hora de baixá-lo e de sincronizar os áudios produzidos pelos alunos para dentro da plataforma. A ferramenta estará disponível para download na Play Store da Google para dispositivos Android a partir da próxima semana.

Conforme o secretário estadual da Educação, Faisal Karam, o projeto, totalmente construído e constituído por servidores da área da educação do Estado e alunos, demonstra a força e a qualidade do ensino público do Rio Grande do Sul. “Este profissionais e estudantes dão uma dimensão muito clara da capacidade e do empenho dos professores em um ano marcado pela pandemia. Tenho certeza que esta nova ferramenta, que contribui para a alfabetização dos nossos estudantes, promove um valioso recurso pedagógico para as Aulas Remotas e para as aulas presenciais”, destaca Faisal.

A secretária adjunta de Educação, Ivana Flores, enaltece a iniciativa e afirma que a criação do aplicativo Ler é Tri é um marco histórico na educação do Rio Grande do Sul. “Esta é uma ferramenta genuinamente gaúcha, feita pela Rede Estadual de Ensino, com uma linguagem diferenciada e que dá exemplo para todo o país. Só podemos resumir esta ação em duas palavras: gratidão e orgulho. Gratidão por termos uma equipe técnica tão qualificada e orgulho de ver algo tão bem feito que vai mudar a vida das pessoas”, considera.

A secretária adjunta de Educação, Ivana Flores, considera a iniciativa como um marco histórico na educação gaúcha
A secretária adjunta de Educação, Ivana Flores, considera a iniciativa como um marco histórico na educação gaúcha - Foto: Lucas Nogare

A idealizadora do aplicativo é a coordenadora de Demanda Escolar da Seduc, Salete Albuquerque. No início deste ano, a servidora, que é professora de Língua Portuguesa por formação, teve a ideia e conversou com dois colegas que atuam na Rede Estadual de Ensino. O grupo decidiu colocar o projeto em prática e, para tanto, contou com a dedicação de alunos e professores, de forma gratuita, para desenvolver a ferramenta.

 A coordenadora de Demanda Escolar da Seduc, Salete Albuquerque, é a idealizadora do aplicativo "Ler é Tri"
A coordenadora de Demanda Escolar da Seduc, Salete Albuquerque, é a idealizadora do aplicativo "Ler é Tri" - Foto: Lucas Nogare

Segundo Salete, a disciplina na qual os alunos mais reprovam na Rede é Língua Portuguesa, e o a principal dificuldade é a falta de fluência em leitura. Com o projeto Ler é Tri, os estudantes lerão em voz alta textos selecionados e a leitura será gravada pelo aplicativo. A partir desta gravação, a inteligência artificial da ferramenta fazer uma análise sobre quais as dificuldades daquele aluno – se é a dicção, a lentidão ou “tropeços”, por exemplo.

A coordenadora destaca ainda que, em média, uma criança que nasce em uma família de classe baixa escuta 17 mil palavras até os quatro anos de idade, enquanto, na classe média, a criança escuta 25 mil palavras no mesmo período, quantidade que chega a 45 mil palavras para crianças de classe alta. “Queremos diminuir essas distâncias, oportunizando que qualquer pessoa que tenha acesso a um celular tenha esse incentivo à leitura”, reitera.

A professora Claudia Farias Lopes Trintin, da Escola Técnica Estadual Irmão Pedro, responsável por coordenar o processo de construção do design do aplicativo, relata que, a partir das ideias dos alunos, foram sendo elaborados elementos que falassem a língua dos jovens e valorizassem a cultura gaúcha.

A professora Claudia Farias, da Escola Técnica Irmão Pedro, coordenou o processo de construção do design do aplicativo
A professora Claudia Farias, da Escola Técnica Irmão Pedro, coordenou o processo de construção do design do aplicativo - Foto: Lucas Nogare

“ O que é 'tri'? É algo muito bom e isso é uma coisa que todo mundo entende. Nosso público são as crianças, os adolescentes e os pais, que também são relativamente jovens. Por isso, era necessário construir uma linguagem jovial, dinâmica, com uso de gírias, alegre e de fácil acesso. Estamos muito felizes com o resultado”, explica.

Funcionalidades da ferramenta

O aplicativo, em sua tela inicial, apresenta campos para login e senha, por meio do e-mail educacional @educar.rs.gov.br. Em seu uso, o aplicativo é direcionado para que o smartphone seja operado na horizontal.

O estágio atual do projeto apresenta uma atividade para as crianças, o “Te Liga na Trilha”, e uma atividade voltada para a inteiração com a família chamada “Família Também Aprende”.

Dentro da plataforma, existem três teclas de ações: um ponto de interrogação com função de “help” para auxílio da execução da atividade; uma tecla para gravar, indicada pela imagem de um microfone; e uma tecla para ouvir a gravação, indicada pela imagem de um alto-falante.

O objetivo é que o app seja adotado por professores e também pelas famílias, que também poderão diagnosticar seus desempenhos.  A expectativa é de que mais funcionalidades sejam oferecidas pelo app no futuro. O próximo passo será proporcionar a Avaliação Diagnóstica Digital do aluno, na qual o professor fará a avaliação do estudante dentro do aplicativo e, com isso, definir as estratégias de intervenção que usará com cada aluno.

Criação do projeto

A aplicativo “Ler é Tri” foi desenvolvido por representantes da Escola Técnica Estadual Irmão Pedro, da Escola Técnica Estadual Parobé, do Colégio Estadual Dom João Becker, do Colégio Estadual Protásio Alves; de alunos do Curso de Publicidade da Escola Técnica Estadual Irmão Pedro; de professoras do Departamento de Planejamento da Secretaria Estadual da Educação e alunos da Escola Técnica Estadual Irmão Pedro.

São eles: Celso Leal Tavares, Cláudia Farias Lopes Trintin, Eliseu Batista dos Santos, Karen Cris Sartori Frederico, Luís Antônio Aransegui, Luiz Oscar Ruschel Pilger, Mara Silva, Rovani Peres de Athayde, além dos estudantes Caroline Ludtke, Douglas Benites, Gaspar Vicente, Lantier Mendes e Renata Freitas.

Ao final do evento, os professores envolvidos na elaboração do aplicativo receberam os Chromebooks e os estudantes receberam celulares para acesso às Aulas Remotas.

Fonte: Seduc/RS

Mais entidades recebem as telas do Salão Artístico Estudantil

Após as telas permanecerem expostas no Fórum de Ijuí e nas agências da Sicredi das Culturas RS/MG Ijuí Centro e Ijuí São Francisco chegou a vez de viajarem para outros lugares.  

Duas novas instituições abrigam algumas das 55 telas do Salão Artístico Estudantil, evento promovido em parceria da 36ª Coordenadoria de Educação e o Jornal da Manhã

Na manhã do dia 16 de dezembro, as telas foram organizadas no Hospital da Unimed e no Senac/Ijuí e ficarão expostas nos corredores dessas instituições até o dia 29 de dezembro de 2020. 

Além desses locais, algumas das obras permanecem expostas no hall de entrada da 36ª CRE.

Este evento surgiu com a ideia de incentivar e desafiar os estudantes neste período de distanciamento social e trouxe à tona o tema “Em Tempos de Pandemia”, estimulando a criatividade e as habilidades artísticas dos alunos que realizaram um desenho e a pintura deste em uma tela.

  A Galeria Virtual completa pode ser encontrada no link abaixo!


Senac Ijuí:





Hospital da Unimed:






O processo de Matrículas para a Rede Estadual começa hoje!

O processo de Matrículas para a o ano de 2021 da Rede Estadual têm início hoje, terça-feira, 15 de dezembro de 2020.

O Processo de Chamada Pública Escolar prevê a pré-matrícula, rematrícula, transferência, efetivação da matrícula e inscrição em Curso Técnico Subsequente ou Concomitante e Aproveitamento de Estudos do Curso Normal.

Mais informações sobre o processo podem ser encontradas nos cards e também nos links abaixo

Secretaria da Educação - Matrículas da Rede Estadual 

Secretaria da Educação - Chamada Pública Escolar












Lives mostram possibilidade da plataforma de leitura Árvore

 

POR ISABELLA SANDER

Foram realizadas nesta terça-feira, 1º de dezembro, duas lives de capacitação nas quais foram apresentadas as funcionalidades da plataforma Árvore. Trata-se de um acervo de livros digitais organizado de forma interativa. O encontro das 10h tratou das possibilidades voltadas para os Anos Finais do Ensino Fundamental, enquanto o das 14h focou no Ensino Médio. Na quarta-feira, 2 de dezembro, às 14h, haverá uma live de tira-dúvidas da Árvore. Clique aqui e preencha o formulário com suas dúvidas sobre a plataforma.

As capacitações do ciclo de formações ocorrerão até o dia 3 de dezembro e envolverão momentos de orientações de acesso às ferramentas e tira-dúvidas. As transmissões serão realizadas sempre pelo canal do YouTube TV Seduc RS e pela página da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) no Facebook, sempre com mediação da diretora do Departamento Pedagógico, Letícia Grigoletto.

Para a diretora do Departamento Pedagógico, a leitura, além de aprimorar os conhecimentos e estimular a criatividade, desenvolve vocabulário, raciocínio e interpretação. “Através da leitura, tem-se a possibilidade de transcender as fronteiras da imaginação e viajar por diversos universos sem sair do lugar, permitindo a expansão de si mesmo e dos nossos universos pessoais”, afirmou, destacando que a leitura pode transformar as aulas também.

A gestora pedagógica da Árvore, Leticia Reina, relatou que sua intenção não é realizar encontros meramente técnicos, mas sim apanhados dos recursos existentes na plataforma que podem ajudar o educador em sala de aula. “Atendemos a uma demanda de jovens que têm não amo um dispositivo e, nele, já consomem diversos conteúdos digitais, de forma dinâmica e interativa. Nossa plataforma entrega conteúdos relevantes, curados e de qualidade para esse leitor em potencial, que também demanda autonomia para fazer suas escolhas”, relata.

Para tornar mais palpáveis as possibilidades da ferramenta, as lives tiveram dos convidados: Daniela Ferrari, diretora da Escola Municipal Prefeito Guerino Massolini, de Serafina Corrêa, e Andrios Bemfica, diretor pedagógico da Secretaria Municipal de Educação de Tramandaí, que contaram sobre sua experiência com a Árvore.

Anos Finais

A plataforma foi apresentada a Daniela pela Secretaria de Educação de Serafina Corrêa e imediatamente aceita. Desde então, coordenadores da Árvore participaram da implementação da plataforma na escola. A diretora da Guerino Massolini lembra que, quando o recurso foi apresentado aos professores, surgiram alguns receios sobre como o acervo seria utilizado, mas, aos poucos, os docentes foram experimentando a ferramenta com seus alunos. “Foi bem interessante, porque fomos aprendendo juntos e descobrindo todo o potencial que poderíamos explorar na Árvore”, conta, ressaltando um projeto sobre multiculturalismo no qual a plataforma foi muito consultada para buscar.

Durante a pandemia, a ferramenta foi ainda mais importante, segundo Daniela. “Pela dificuldade de acesso ao livro físico, termos essa gama de materiais facilita, tanto para atividades escolares como para o lazer dos alunos”, observa.

A diretora conta que uma estudante, Júlia, do 2º ano do Ensino Fundamental, já figurou em segundo lugar no ranking nacional entre os maiores leitores da plataforma, e outro aluno, Diogo, do 5º ano, também já apresentou desempenho louvável. “Os estudantes têm interesse e exploraram bastante a plataforma. Eles vão somando pontos e competindo com os colegas da turma, querendo que seu nome apareça no ranking também.”

00:00:00/00:00:00

Como a leitura pode transformar sua aula

Como a leitura pode transformar sua aula Crédito: TV Seduc RS

 Ensino Médio

A chegada da plataforma à Rede Municipal de Tramandaí se deu em meio à pandemia, conforme Andrios Bemfica, diretor pedagógico da Secretaria Municipal de Educação da cidade. Assim como na escola de Serafina Corrêa, a primeira reação foi de surpresa e alguma negação da ferramenta, mas, ao longo das experimentações de professores e alunos, ela se tornou um recurso imprescindível para manter o trabalho pedagógico nas instituições de ensino.

“A Árvore se tornou uma importante ferramenta de interação entre as turmas e os docentes e de incentivo à leitura. A plataforma agregou muito às propostas de ensino, quando os educadores passaram a se aventurar nela”, pontua Bemfica.

O diretor pedagógico considerou o recurso muito intuitivo, amigável e de fácil utilização, e elogiou o suporte oferecido pela Árvore. “Em Tramandaí, entendemos que a formação de um cidadão mais crítico, consciente, responsável, com capacidade de argumentação e expressão de ideias passa pela formação de um cidadão leitor. Por isso, uma plataforma como a Árvore é um importante espaço para garantir isso, seja no ensino presencial ou remoto”, avalia.

00:00:00/00:00:00

Live Árvore: Como a leitura pode transformar sua aula

Live Árvore: Como a leitura pode transformar sua aula Crédito: TV Seduc RS

Árvore

A plataforma Árvore de Livros disponibiliza mais de 30 mil livros para ler quando e onde quiser, de forma gamificada, que oferece para crianças e jovens uma forma ainda mais divertida para desenvolver habilidades e repertório de leitura. Além disso, a ferramenta oferece recursos de apoio ao educador para ajudar nas intervenções com os alunos.

Confira a programação

02/12 - 10h / Tira Dúvidas Elefante Anos Iniciais
02/12 - 14h / Tira Dúvidas Árvore - Anos Finais e Médio
03/12 - 10h / Lançamento aos Estudantes Elefante Anos Iniciais
03/12 - 14h / Lançamento aos Estudantes Árvore Anos Finais e Médio

Fonte: SEDUC RS

Alunos da rede estadual são premiados em concurso literário promovido pela UNIJUÍ

Com o tema “Sustentabilidade e Vida Planetária: futuro pós-pandemia”, o concurso desafiava aos alunos escrever um conto ambientado em um tempo no futuro pós pandemia, tendo o meio ambiente como condutor da temática.

O Concurso Literário contou com a participação de estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental de escolas particulares, municipais e estaduais de toda abrangência da 36ª Coordenadoria Regional de Educação.

10 contos foram selecionados e dentre eles 4 alunos das escolas de abrangência da 36ª CRE foram selecionados

Em primeiro lugar a aluna Yasmin França Garcia do 9º Ano da E.E.E.F Rui Barbosa, sob orientação da professora Maria Fabiane Lima, com o conto “Humanidade”.

Em sexto lugar o aluno Leonardo Elias Spies Filipim do 8º Ano da E.E.E.F Rui Barbosa, sob orientação da professora Angela Knebel Michael, com o conto “A quarentena que não vemos”

Em oitavo lugar a aluna Isabela Bortolan Voltz do 7º Ano da E.E.E.F. Osvaldo Aranha, sob orientação da professora Sigrid Buchner do Amaral, com o conto “Era uma vez uma quarentena”

Em nono lugar a aluna Sthefany Schmidtke Olbrich do 6º Ano da E.E.E.F 6 de Agosto. Sob orientação da professora Sigrid Buchner do Amaral, com o conto “No meio de tudo”

Ao serem questionados quais foram suas inspirações para escreverem seus contos, cada um apresentou um processo criativo diferente, Yasmin do Rui Barbosa, afirma que se inspirou através de filmes futurísticos de ficção cientifica, onde os humanos já não habitavam mais o planeta terra, Leonardo, por outro lado, se inspirou em seus cães, que acostumados com seus donos em casa, como reagiriam quando as rotinas voltassem ao normal.  Isabela se guiou pela situação atual que é vivida nessa pandemia, enquanto Sthefany teve de inspiração o lugar onde mora, seus animais e também suas plantas.

Todos eles se mostraram bastante surpresos ao descobrirem que foram selecionados entre os 10 melhores contos, “Sou muito grata a minha professora, por ter tido paciência comigo e me estimulado a não desistir”, afirma a aluna Isabela. Yasmin relata que se sente muito grata pelo apoio que recebeu, Leonardo, aluno da mesma escola, reconhece que seu esforço valeu a pena. Sthefany vê isso como uma forma de incentivo “...agora sei que terei muito mais sucesso no meu estudo e com tudo isso me sinto ainda mais capaz. Além de ficar muito feliz em trazer este prêmio à minha Escola 6 de Agosto que me faz tão bem. ”

Todas as 10 redações premiadas serão gravadas no formato de um podcast (áudio) e serão vinculadas na programação da UNIJUÍ FM e em suas plataformas de streaming.


Aluna Yasmin  França Garcia com sua professora orientadora Maria Fabiane Lima e Diretora Sandra Weber 


Aluno Leonardo Elias Spies Filipim com sua professora orientadora Angela Knebel Michael e Diretora Sandra Weber


Aluna Isabela Bortolan Voltz com sua professora orientadora Sigrid Buchner do Amaral e representante da UNIJUÍ Cláudia


Aluna Sthefany Schmidtke Olbrich com sua professora orientadora Sigrid Buchner do Amaral, a Diretora Rosane Marquioro e a representante da UNIJUÍ Cláudia







Escolas de Ensino Médio participam de webinar "Recebimento de Chromebooks: Programa Jovem - RS"

O governo do Estado do Rio Grande do Sul, através da Secretaria da Educação (Seduc), realizou um investimento para a aquisição de 50 mil Chromebooks para serem entregues aos professores regentes de classe e coordenadores pedagógicos das 2,4 mil escolas da rede pública estadual. Ainda há a previsão de compra de mais 70 mil unidades no ano de 2021 que será utilizado pelos alunos para acesso às aulas remotas.

O Chromebook é um notebook que conta com o sistema operacional Chrome OS, apresentando certa similaridade ao Android presente em celulares. É um notebook leve, rápido e com recursos simplificados, ideal para o uso nos estudos.

Inicialmente esse material será disponibilizado para as escolas de Ensino Médio. Visando auxiliar os professores, o Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE) da 36ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), realizou no dia 30 de novembro um webinar com o tema “Recebimento de Chromebooks: Programa Jovem – RS”, onde foram transmitidas as orientações gerais e o passo a passo de como utilizar os aparelhos recebidos.

"Criamos salas virtuais espelhadas nas físicas para acesso de professores e alunos, conseguimos viabilizar o acesso gratuito na plataforma Classroom com a Internet patrocinada, constituímos formação de letramento digital aos docentes, e a entrega de Chormebooks aos professores, representa um passo gigantesco na construção de um novo modelo de ensino. A pandemia inseriu definitivamente a escola digital. “, ressalta José Augusto Fiorin, coordenador do NTE.

O Coordenador Regional de Educação Cláudio da Cruz de Souza destacou a importância dos equipamentos para os professores, reafirmando o modelo hibrido de ensino e o uso da ferramenta tecnológica como uma estratégia para o processo de ensino e aprendizagem.







Prêmio Excelência em Educação da 36ª CRE reconhece educadores da Rede


 

POR ISABELLA SANDER

Em mais uma parceria entre a 36ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), de Ijuí, e o grupo Jornal da Manhã, o Prêmio Excelência em Educação teve a sua cerimônia de entrega realizada na última sexta-feira, 27 de novembro, no Teatro do Sesc de Ijuí.

O Prêmio Excelência em Educação surgiu com o objetivo de reconhecer o empenho dos educadores da Rede Estadual de Ensino que, nesse momento de pandemia, conseguiram encontrar soluções e se adaptaram ao cenário atual, buscando a partir de abordagens inovadoras o uso de recursos e práticas educacionais, além do engajamento com os alunos.

Devido à pandemia, a premiação contou apenas com a presença dos apoiadores do projeto, das chefias da 36ª CRE e dos vencedores de cada categoria com seus acompanhantes, respeitando o distanciamento social e os protocolos sanitários necessários. O professor José Augusto Fiorin, chefe do Núcleo de Tecnologia Educacional da 36ª CRE, foi o apresentador do evento. Os vencedores ganharam troféus, certificados de mérito e cestas com alimentos e bebidas, para celebrar a premiação com suas famílias.

Na categoria Projeto Escola, a professora Luciléia Renata Martins Zborovskí, da Escola Agostinha Dill, venceu com o projeto “#A Vida é da Cor que Você Pinta”. Na categoria Orientador Educacional, a professora Osméri Antonia Groth dos Santos, da Escola Emil Glitz, venceu com o projeto “O Orientador em Tempos de Pandemia: Um Caminho Possível”.

 Na categoria Professor da Educação Profissional, o professor Claudiomir de Matos Lino, do Instituto de Educação Guilherme Clemente Köehler, venceu com o projeto “Curso Técnico em Edificações”. Na categoria Gestor de Escola, a professora Luciléia Renata Martins Zborovskí, da Escola Agostinha Dill, venceu com o projeto “80 Anos de História, Sonhos e Realizações”.

Na categoria Professor de Ensino Fundamental – Anos Iniciais, a professora Neide Maria Hoffmann, da Escola Medianeira, venceu com o projeto “Em Tempo de Pandemia um Sarau de Poesia”. Na categoria Professor do Ensino Fundamental – Anos Finais, a professora Janaina Ribeiro Rios Feller, da Escola Alice Couto, venceu com o projeto “Um ‘Projeto de Vida’ para 2020”.

Na categoria Coordenador Pedagógico, a professora Luciléia Renata Martins Zborovskí, da Escola Agostinha Dill, venceu com o projeto “#A Vida é da Cor que Você Pinta”. Na categoria Professor do Ensino Médio, o professor Cristiano Zimmermann, da Escola Técnica 25 de Julho, venceu com o projeto “Momento de Agradecer aos ‘Heróis da Saúde’”.

Na categoria Professor da Educação Especial, a professora Lúcia Oliveira de Andrade, da Escola Agostinha Dill, venceu com o projeto “Integração #Amigo”. Na categoria Professor da Educação de Jovens e Adultos, a professora Janaina Ribeiro Rios Feller, da Escola Técnica 25 de Julho, venceu com o projeto “Mudando a Forma de Como Vemos as Coisas”.

Após a entrega dos prêmios, o coordenador da 36ª CRE, Cláudio da Cruz de Souza, parabenizou os professores agraciados. “Vocês, hoje, representam os mais de mil professores que trabalharam com muito afinco e dedicação, neste ano que vai ficar na história”, destacou.

A diretora do Grupo Jornal da Manhã, Iara Soares, recebeu o título de Amiga da Educação, entregue devido ao constante apoio aos projetos promovidos pela coordenadoria. “A pandemia nos mostrou o que mais importa, e, com isso, percebemos a importância absoluta da presença e do trabalho do professor. Estamos aqui, hoje, para honrar esse trabalho que vocês realizaram e desejar que sirva de inspiração aos seus colegas”, salientou Iara, parabenizando os premiados. O evento contou com o apoio de Unimed Noroeste, Sicredi, Grupo Fricke e Fecomércio Senac.

Fonte: Seduc RS

Siga nossas redes sociais